Não faça parceria com qualquer um!

Parceria, seja esporádica, seja fixa como uma sociedade, vale a pena?

Depende. Um bom parceiro ou parceira deve trazer pelo menos uma das três coisas a seguir: clientes, expertise e dinheiro.

Aliado a isto, deve ter disposição para trabalhar.

Se o parceiro ou parceira traz cliente, mas não ajuda, vai te sobrecarregar, e só vai cobrar sem se importar com os ônus. Entenda: isso não é parceria!

Se valer a pena, aceite os clientes e pague quem indicou com uma participação, sem divisão de lucros.

Sendo a expertise é o que se ganha de uma parceria, que seja de alguém que se disponha de verdade. O maior risco nesses casos é ser deixado em segundo plano por falta de prioridade.

Sem isto, prefira outro consultor ou mesmo ser realista com o cliente e informar que não terá condições de atender. Não associe seu nome a quem pode te deixar em maus lençóis.

Por fim, se o dinheiro é o elemento trazido, as regras devem ser muito bem estabelecidas entre os envolvidos. Dinheiro é importante para expandir, tanto para quem injeta como para quem o recebe.

Então, tome cuidado para esta que esta relação não tome contornos ao ponto de te transformar em empregado dentro de seu próprio negócio.

Para resumir: parcerias ou sociedades só valem se você ganhar clientes, expertise ou dinheiro investido. Sem isso, não aceite.

Somado a um dos fatores acima, vontade de trabalhar e desenvolver. É obrigatório.

Assim, se não tiverem para somar, não deixe que subtraiam.

Boa semana!

P.S.: Gostou da leitura? Tem alguma dúvida ou sugestão? Então deixe seu um comentário ou entre em contato clicando aqui.