Reajuste em planos de saúde será negativo, define Agência Nacional de Saúde Suplementar

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) definiu que as operadoras de planos de saúde devem promover reajuste dos planos individuais e familiares em -8,19% (oito vírgula dezenove por cento negativo).

Com a decisão do órgão, o reajuste negativo será obrigatório para as operadoras.

A justificativa é a diminuição da procura por cobertura de despesas essenciais no ano de 2020, motivada pelo receio causado pela pandemia e o impacto da Covid-19. As pessoas passaram a temer a ida à hospitais e clínicas e sofrerem contaminação.

O cálculo é feito com base na variação das despesas assistenciais com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Foi assim que se concluiu que o reajuste será negativo.

Para quem vale?

Entretanto, a medida vale apenas para os planos na forma da Lei 9.656/98. Então, os planos de saúde contratados de forma coletiva não estão incluídos neste rol.

A expectativa é a de que este benefício contemple oito milhões de pessoas, em contratos que fazem aniversário de maio de 2021 à abril de 2022.

Conclusão:

Então, recomenda-se ao consumidor que verifique os boletos para confirmar se o reajuste está ou não está sendo cumprido. Em caso de descumprimento, o SAC da operadora, a própria ANS ou órgãos como o PROCON ou o Poder Judiciário poderão ser acionados.

Em caso de dúvidas, permanecemos à disposição.